Resenha 08 | O Despertar do Príncipe

11:54



ISBN: 9788580414363 | TÍTÚLO: O Despertar do Príncipe - Deuses do Egito #1 | AUTOR: Colleen Houck | PÁGINAS: 384 | EDITORA: Arqueiro | GÊNERO: Literatura Estrangeira, Infanto Juvenil, Ficção Fantástica.

Liliana Young é uma garota de dezessete anos que vive em um dos bairros mais chiques de Manhattan, cercada de todo o luxo que o dinheiro pode comprar. Aparentemente sua vida é perfeita: ela é jovem, é bonita, bem educada, rica e possui uma certa liberdade para fazer o que quiser. Porém o preço para manter essa tal liberdade, é obedecer cegamente seus pais, que são extremamente controladores, em vários aspectos -principalmente quando o assunto é seu futuro. Apesar de todas as circunstâncias, Lily não é uma daquelas típicas patricinhas esnobes que acham que o shopping e o cartão de crédito são o centro de sua vida. Em seu tempo livre ela gosta de fazer coisas mais simples, como explorar a cidade, visitar museus e coisas do tipo. 

O livro começa justamente em uma dessas visitas ao museu. Lily precisa tomar uma decisão importante sobre qual faculdade irá frequentar e decide que, pela primeira vez na vida, precisa enfrentar seus pais e deixar claro que essa escolha dependerá somente dela. Como o museu é uma espécie de refúgio particular, em busca de um pouco de paz e tranquilidade para refletir, ela acaba indo parar na sessão egípcia, que por estar em reforma, estava vazia naquele dia. Porém, para sua surpresa, ela não era a única naquele lugar. Ao ouvir um barulho e ir investigar, a garota tem um encontro bem inesperado com uma múmia milenar. Isso mesmo, uma múmia de verdade... e viva!


Bom, a múmia na verdade é um rapaz alto, bonito, careca, com poderes divinos e vestido com uma "saia" branca. Tenho quase certeza de que você nunca imaginou encontrar uma dessa maneira, né?! Pois foi exatamente assim que Amon se "apresentou". À primeira vista Lily acha que o rapaz está desorientado e completamente fora da casinha. 

Amon deveria ter despertado em um local completamente diferente, perto dos irmãos e em circunstâncias apropriadas para concluir sua missão. Ao invés disso, se vê em um museu, em um "mundo" completamente diferente do que se lembrava e conhecia, e como se não bastasse, sem energia vital suficiente para sobreviver. Quando se depara com Lily, não vê outra forma de salvar sua vida, e assegurar que completaria seu destino, a não ser ligando-se à dela. Como já se espera, a menina não acredita nem por um segundo nas coisas que ele diz, e ele não entende as que ela fala. Porém basta um súbito entendimento de uma língua nunca estudada, um atropelamento que deveria ser fatal e um teletransporte improvisado, para que os dois se encontrem na mesma página.


Amon põe Lily a par de sua história e conta-lhe sobre os perigos que estão por vir. Um inimigo impiedoso se aproxima e não vai descansar enquanto não for detido, além de outros mistérios que precisam ser resolvidos. E para isso, algumas coisas deveriam ser feitas primeiro. Assim, ambos partem em um jornada pelas areias escaldantes do deserto, e em meio à criaturas mitológicas, passagens secretas e armadilhas, múmias e deuses, eles iniciam uma busca por outros dois príncipes perdidos, jarros canópicos desaparecidos e a esperança de um novo nascer do sol.


Antes de mais nada, eu estava um pouco receosa em ler esse livro, pois eu tenho uma relação de amor e ódio com a autora. Estava super ansiosa para ler O Despertar do Príncipe desde que o vi, com essa capa incrível e com um tema que eu adoro. Mas estava com medo de não gostar, como aconteceu com outra saga da mesma autora, então adiei bastante. Mas no fim das contas, li e... AMEI!!

O livro tem aventura, tem magia, tem mistério, tem romance (talvez um pouco meloso para alguns, mas é, isso é super esperado quando se trata da Coollen Houck), e algumas partes me lembrou muito os filmes do Indiana Jones (que eu adoro, por sinal). A narrativa é super simples e fácil de ler, a estória flui com muita naturalidade, os cenários são muito bem descritos, e quando dei por mim, já tinha terminado.

Outra coisa que me faz gostar muito desse tipo de livro é a imersão em uma cultura diferente da nossa, porque por mais fantasiosa que seja a estória, elas sempre nos ensinam coisas novas. E O Despertar do Príncipe não decepciona. Super recomendo!

CLASSIFICAÇÃO:

VOCÊ PODE GOSTAR TAMBÉM

0 comentários